Uruguay – 18 a 22/jan/2017

#localguides – Com um ótimo grupo de amigos da SBAV – Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho, fomos guiados pelo Cristian Safie (Senderos del Tannat – Turismo), para conhecer excelentes bodegas. A uva tannat, tem representado toda a expressão da qualidade dos vinhos uruguaios, mas, há outras variedades que estão sendo muito bem trabalhadas.

Vamos apresentar um pouco daquilo que vimos e, claro, degustamos. A cidade de Montevidéo, surpreendeu. Muito ao contrário do que eu, particulamente, esperava, é muito bem cuidada. A principal região produtora dos vinhos uruguaios, está em Canelones, especificamente em Las Piedras e arredores.

ARTESANA – uma bodega, essencialmente, feminina, aos cuidados da Ana.20170119_110120

 

Tannat e zinfandel, são as principais apostas. Ótimos vinhos, degustados com uma excelente refeição e imprescindíveis companhias.

MARICHAL. Ótimos vinhos, produzidos e cuidados com muito carinho20170120_111238

BODEGAS PIZZORNO – vejam só: já visitamos inúmeras bodegas em vários países, como Brasil, Argentina, Chile, Portugal e Espanha. Em nenhuma delas, nunca, nos fizeram uma demonstração como essa, feita pelo Francisco, jovem da família Pizzorno, encarregado pela parte comercial. O uso desse aparelhinho (refratômetro), que mede o teor de açúcar da uva. Os vinhos dessa bodega, são premiadíssimos, excelentes mesmo. Em São Paulo, são distribuídos pela Gran Cru, com exclusividade.

20170121_115526

Tão perto, tão bela: Cunha

Se há um lugar, bonito e cheio de atrações – todas ótimas – esse lugar é Cunha. Na entrada de Guaratinguetá (Via Dutra), acessamos a ótima estrada que, após 56 km, chegamos ao destino. Pousadas, há várias. Recomendo a Pousada Barra do Bié. Além do simpático casal, Ciro e Ana, as instalações são excelentes. É certo que ela fica há 6 km do asfalto. Mas, se você quer sossego, é o lugar.No mais, há várias cerâmicas como a Jardineiro & Suenaga e Augusto Campos e Lei Galvão. Uma das principais atrações locais, está relacionada com a transformação da região num pedaço da Provence. É o Lavandário . Alias, nesse domingo (15/jan/2017), a Globo apresentou uma ótima reportagem – na qual aparece uma outra excelente opção para conhecer os campos de lavanda, que é o Contemplário. 20150822_110806

Paz e beleza

Numa das viagens ao Chile (2015), fomos visitar 5 vinícolas, acompanhando um grupo de confrades, da SBAV – Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho. A mais antiga confraria de vinhos do Brasil. Uma das excelentes bodegas visitadas foi a Vinícola Montes, que, além das belezas naturais, há o trabalho caprichado na arquitetura local. Para ter-se uma ideia, na sala onde ficam as barricas de carvalho, nas quais os vinhos descansam, tocam canto gregoriano o tempo todo.

Para terem ideia das belezas locais, não pude conter-me ao vislumbrar esses álamos, no estacionamento da bodega. É… só podemos sair daqui, embriagados.

A Cesar, o que é de Cesar

Durante nossa visita à USJ – Universidade San Jorge, em Zaragoza, Espanha, aproveitamos para desfrutar do momento do qual estávamos vivendo: chegamos na Semana del Pilar, a maior festa cultural da região. Conhecemos a Catedral del Pilar, o bairro El Tubo e, na praça onde ficamos (Plaza de Spaña), além de todas as belezas, havia esse Shopping Gastronómico, o Puerta Cinegia. Dentro do shopping, há uma estátua de Cesar – um dos invasores da cidade – com cerca de 10m. Uma atração especial, que leva as pessoas a sentarem-se na mesinha que possibilita ‘pegar na mãozinha’ do soldado.