Um grupo de visitantes chineses, nos jardins do Museu Paulista

Hoje, segunda-feira, 03 de abril 2017. Imaginem se as fontes dos jardins do Museu Paulista (Ipiranga) estivessem funcionando. Perdemos muito com essa beleza que está sendo prejudicada por inércia e incompetência administrativa. Um grupo de cerca de 50 chineses, muito bem organizados, passearam por todo o parque. stacionamento fechado, fonte sem funcionar, uma pena. Onde está a competência administrativa?20170403_093429

SBAV-SP: vinho para quem gosta de viver e de compartilhar amizades, pelos melhores lugares

Ainda nesse ano, a SBAV-SP, promoverá viagens para o Sul do país (Avaliação da Safra), e para a Espanha – 10 dias visitando a Escola de Catas de Madri, várias vinícolas e muitos passeios em bodegas e lugares que, somente com esse respaldo, é possível usufruir. Entre em contato, associe-se e, viva o mundo da SBAV-SP.

No último dia 31 de março a Revolução Queijeira, teve a apresentação do Falco (Galeria do queijo). Obras-primas da Fazenda Atalaia, Amparo (Queijo Tulha, medalha de ouro na Espanha em outubro 2016), Queijos da Serra da Canastra (Yvair, Guilherme), Serra das Antas, Capril do Bosque, com espumantes, outros vinhos brancos e uma tentativa de harmonização com tinto (uma tintativa).

A revolução queijeira

No próximo dia 28 de março – antecedendo a Revolução do dia 31 – teremos a Revolução queijeira, na SBAV. O Falco, da Galeria do Queijo, estará presente contando as peripécias pelas quais passam, os produtores artesanais brasileiros, para conseguir colocar seus produtos nos mercados.

Teremos, pelo menos, 5 tipos de queijos incluindo amostras da Serra da Canastra, Serra das Antas, Capril do Bosque e da Fazenda Atalaia, Amparo. Queijos premiados em França e na Espanha que, no entanto, sofrem os revezes de uma legislação retrógrada e mal informada, em nosso país.

Trocas: visitas e entrevistas

Assim, nessa quinta-feira (09/mar), recebemos as visitas de alunos do Colégio Sesi de São Bernardo do Campo, que quiseram conversar conosco a respeito dos cursos relacionados à Humanas. Por uma felicíssima coincidência, eu também queria conversar com alunos concluintes do Ensino Médio, para conhecer suas metas futuras. Foi muito bom receber a Mariana, a Giovana, o Caio e a Isabela (devidamente autorizados por seus papais). A casa é de vocês.

Conhecer é saciar a vida

Assim, nessa quinta-feira (09/mar), recebemos as visitas de alunos do Colégio Sesi de São Bernardo do Campo, que quiseram conversar conosco a respeito dos cursos relacionados à Humanas. Por uma felicíssima coincidência, eu também queria conversar com alunos concluintes do Ensino Médio, para conhecer suas metas futuras. Foi muito bom receber a Mariana, a Giovana, o Vinícius o Gabriel e a Isabela (devidamente autorizados por seus papais). A casa é de vocês.

20170309_16203120170309_162024

Ver o post original

Trocas: visitas e entrevistas

Assim, nessa quinta-feira (09/mar), recebemos as visitas de alunos do Colégio Sesi de São Bernardo do Campo, que quiseram conversar conosco a respeito dos cursos relacionados à Humanas. Por uma felicíssima coincidência, eu também queria conversar com alunos concluintes do Ensino Médio, para conhecer suas metas futuras. Foi muito bom receber a Mariana, a Giovana, o Vinícius o Caio e a Isabela (devidamente autorizados por seus papais). A casa é de vocês.

 

20170309_16203120170309_162024

Dicas para transcrições de conteúdos

Com razoável frequência, temos a necessidade de analisar grandes volumes de conteúdos. Esses conteúdos podem estar em forma de vídeo, de áudio ou de textos. Outras vezes, temos o áudio, mas, precisamos transcrevê-los para que a análise seja facilitada a partir da categorização dos conteúdos. Aí, algumas alternativas podem ajudar-nos.

Vamos começar pela dica de um recurso gratuito, disponível pelo Google Chrome, o Speech. Com alguns poucos cliques aqui, ou ali, podemos avançar. Veja esse vídeo que nos ajuda nessa tarefa. Transcrição de áudio

A grande novidade é o Watson da IBM. Um revolucionário (esse conceito já parece ultrapassado, então vamos dizer… um diruptivo),  sistema de inteligência artificial. Se você não atua em uma área cujo fator preponderante seja a CRIATIVIDADE, cuide-se.

Conheça o Watson nesses dois vídeos

E, assim se constrói um sonho: com muito, muito trabalho.

Essa é a Vinícola Guaspari, daqui, do interiooorrrr de São Paulo, mesmo. Espírito Santo do Pinhal (próximo a Andradas, Caldas, e adjacências). Surpreende, positivamente, claro. Quer dizer, bem escuro… tinto.

Como conhecer os vinhos?

Nada como um lugar no qual podemos encontrar pessoas que conheçam muito os vinhos e, sem arrogância nenhuma, queiram compartilhar. Temos muitas oportunidades de falar sobre vinhos, hamonizações, conhecer lugares lindos e ótimas vinícolas, sendo muito bem recebidos. Esse ponto de encontro, é a SBAV – Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho. A mais antina confraria de vinhos do Brasil. Você deveria conhecer e fazer parte. Comece por acessar as páginas em mídia social: SBAV (no Face)

Porchetta: uma dessas delícias que podemos preparar e compartilhar

Come fare una porchetta in casa. Qualquer criança faz, qualquer criança se diverte. Brincadeirinha….A porchetta é feita com a parte lateral do porco. A peça deve conter as carnes da costela (retirando-se todos os ossos), bem como o lombo. Portanto, além da gordura que normalmente faz parte da pancetta, muita carne acaba fazendo parte da porchetta. As peças, podem ter de 4 a 12 kg (ou mais). Portanto, solicite ao seu açougueiro, qual o tamanho que você deseja. Sal, ervas finas, alho poró preparam a primeira fase do tempero – deixando-se de uma noite para o dia seguinte, em geladeira. Depois, com uma mistura de 1l de vinho (tingo ou branco) + 1l de suco natural de laranja, a peça fica marinando, por mais umas 8h. Costumo usar sacos plásticos de grande densidade. Eles facilitam bastante o manejo. Aí, os próximos passos, incluem alguns itens, a gosto, como duas linguiças calabresas, no recheio. Uma das partes mais difíceis, é da amarração. Estou aprendendo a costurar. Isso, levou-me a uma caça às agulhas para tal fim. Uma dificuldade à parte, visto que, nesse grande país, não encontramos as coisas tão facilmente. Estou adaptando coisas e, depois, posto resultados. Cinco horas, de forno, e temos essa belezinha aí. Nem cachorro come isso. Não sobra nada pros bichinhos.  Ah, para complementar, faço um molho com cebolas cortadas em julienne (não picadas, mas, em tiras), azeite, suco de 1/2 limão (siciliano) e um bom punhado de orégano. Abra a boca…