Evolução da mídia social

Para você que precisa conhecer a história da Internet e da mídia social.

Vale a pena, assistir (embora previstos para 2015). Temos um histórico dessa evolução, em dois vídeos

vídeo 1: EPIC 2015 – em portuguêsEPIC 2015 – em português

vídeo 2: PROMETEUSPROMETEUS – trailler sobre o filme (ficção), sobre as possibilidades do futuro

vídeo 3: PROMETEUSPROMETEUS – outra visão, envolvendo a mídia

vídeo 4: E A INTERNET 5G ? veja isso, agora. Já tem data definida.

Momento de decisões

Ao longo de decadas, os mercados foram sofrendo mudanças e, com elas, adequando-se ao novo. Na maioria das vezes, o choque do novo, causou impactos e muitas resistências.

Estar numa situação conhecida, é cômodo. Ter que mudar, causa desconforto.

Como em todos os demais setores, o educacional, passa por um momento de decisões: o mercado de trabalho não quer, apenas, candidatos a uma vaga, com diploma universitário. Quem pessoas, realmente, habilitadas. Quando digo ‘habilitadas’, não digo de pessoas portadoras de diplima universitário, simplesmente. Sim, simplesmente.

O candidato a uma vaga, deve ter passado por uma formação que vá além da qualificação técnica. Deve ser cidadã, cultural, humana.

Dedicar seus estudos a um período na formação universitária, NUNCA é perda de tempo – ainda que num determinado momento, você decida que ‘tal curso não seja o que você quer concluir’. Tudo acumula experiências em sua formação ampla.

A escolha do curso e da Instituição de Ensino Superior

Há um dito popular: “se, estudar é caro, experimente o preço da ignorância”. Infelizmente, em vez de nos preocuparmos em superar barreiras, desenvolvemos habilidades de sofrimento. Isso. Gostamos de nos sentir coitadinhos, merecedores de pena.

Pena é não termos o senso de sompetitividade, desde cedo. Aprender a valorizar cada tostão e trabalhar, desde muito cedo. Isso nos ajudaria, muito, a dar real valor às coisas.

Ao escolher uma Instituição de Ensino, pense como um investidor: qual o retorno terei para o dinheiro, o tempo e esforço, investidos em meu curso? Qual a relação desse curso, com as habilidades e competências a serem exigidas no futuro (veja que já comentei sobre isso em potro post).

O momento de decisões, citado acima, está relacionado ao momento de saber escolher onde estudar. Cursar apenas pelo diploma universitário, não vale a pena. O mercado de trabalho está mais seletivo, buscando egressos de cursos de instituições reconhecidas.

Não perca seu tempo, seu dinheiro e seu esforço. Isso pode acabar custando muito caro.

Potencial, temos, mesmo que nossos governantes atrapalhem um bocado.

Para todos os lados e direções, podemos identificar nesse imenso Brasilzão, atrações de dar orgulho.

Temos, também, gente mal educada, que joga lixo na rua, no rio, no chão. Bah, temos de tudo.

Hoje, finalmente, fomos conhecer um espaço gourmet de São Paulo, o Eataly. Resisti por algum tempo, mas, confesso, com aquela pontinha de vontade de conhecer o lugar. E, olha, me arrependi.

Como assim? “Me arrependi”

Me arrependi de não ter ido antes. O lugar é muito legal. Pelas opções em restaurantes, em produtos… os aceto balsâmicos de Modena, proliferam. Preços justos. Os queijos, as massas. Como arrependimento mata, voltarei mais vezes, sem demorar tanto.

E no Sul

Ah, esse Rio Grande do Sul. Vendo o programa da linda Cecília Aldaz (uma argentina de Mendoza, radicada no Brasil, pode? Pode), conheci a Laurentia, uma vinícola que produz principalmente um vinho da variedade macabeo (espanhola, usada na produção da cava). E o mais legal é que, o proprietário – médico – instalou a vinícola nas proximidades de Porto Alegre (a 40 km), com uma aprazível pousada.

Entãio, como não bastassem as maravilhas de Bento Gonçalves, da Serra Gaúcha – que afinal nem ficam tão longe – agora temos essa atração (estou sentindo-me muito atraído), para nosso grupo de confrades da SBAV SP, conhecer. Nossa missão está posta.

E em Sampa

Bem, nesse final de ano, conheceremos mais uma jóia da vitivinicultura paulista: Casa Verrone. A vinícola fica em Itobi, a loja fica em São José do Rio Pardo (parrrdo). Tomei o vinho da Verrone, durante uma visita que fizemos (claro, com o grupo da SBAV SP), à Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal.

Ah, mas o vinho é Verrone, ou Guaspari? Fomos conhecer a Guaspari – excelentes vinhos produzidos no sistema de poda invertida, desenvolvido por um agrônomo brasileiro. Ao sairmos da Guaspari, fomos almoçar no centro da cidade. Lá, nos ofereceram os vinhos da Verrone, pelo qual sentimo-nos muito atraídos.

Foram gratas descobertas que iniciamos, e, hoje, sabemos dessa bela produção que se abre por Andradas, vai até o encontro entre São Paulo, Minas e Rio de Janeiro – onde também encontramos azeites, originados de olivais desenvolvidos pela EPAMIG, em Maria da Fé,  MG.

Eta, Brasilzão. Não fosse essa praga da ganância e do desrespeito pelo próximo, seríamos um baita país.

O trabalho no futuro (muito próximo)

Eu sei, há muita gente (ainda) procurando emprego, não trabalho. 

E, pior: não conseguem compreender ‘por quê’ as coisas, pensando assim, sejam muito mais difíceis. Procuram uma boquinha, com os concursos públicos, procuram um bom cargo – antes de mostrarem suas qualidades – mas, algumas pessoas gostam, mesmo, de reclamar e sofrer mais. Claro, as coisas não estão fáceis, nem para os mais esforçados. Imaginem para esse tipo de comportamento.

A série do futuro

Vamos iniciar algumas abordagens, tratando de futuro. Profissões e funções a serem extintas, assim como, novas habilidades que serão cada vez mais solicitadas. 

Por ora, vejamos esse interessante vídeo falando sobre “O trabalho do futuro“.

Muitas das profissões cujas atividades possam ser automatizadas, podem acreditar, serão extintas. Ou sofrerão, em uma dose muito elevada, com o advento da tecnologia. 

Uma delas será a área do Direito. Falaremos dela, mais tarde.

Para conhecer as 3 tendências disruptivas do Marketing, veja o artigo Top 3 disruptive marketing trends for 2018, publicado na Revista Forbes..

A tecnologia não nos ajudou, nem nos ajudará, no sentido de eliminar tarefas e permitir que trabalhemos menos. Tecnologia é um fator milenar. E, assim, nunca eliminou trabalho, a ponto de ajudar o descanso humano. Somente melhora a produtividade.

Profissões a serem extintas:

O futuro das profissões

Apaixonados por tapear

As tapas são uma atração espanhola. Petiscos nos mais diversos formatos (cada vez mais se sofisticando). Do simples pão com ovo, aos mais sofisticados deleites espumados. Vejam o que se faz na vanguarda da cozinha espanhola em tapas pela Espanha

Aqui, uma aula na La Zarola, quando estive em Zaragoza, em outubro/17

Outras formas de tapear 20171012_14160520171016_175823

Na linha das coisas boas que temos no Brasil

E, em São Paulo, no estado do trabalho.

Essa é uma das coisas boas, entre tantas que podemos divulgar. Tomei o vinho da Vinícola Verrone, em Espírito Santo do Pinhal, depois de visitar a Vinícola Guaspari. Daí, comecei a perceber que temos o dever de conhecer melhor as coisas boas que temos.

Outra coisa boa, foi provoar os vinhos da Vinícola Luiz Porto. Confesso, nuncia tinha ouvido nada sobre ela. Daí, num evento que aconteceu na última sexta-feira, dia 12, na ADC Embraer, em S. J. dos Campos, lá estavam eles. Ótimos vinhos – para não falar que foram dos melhores da noite. São Produzidos em Minas Gerais, em Cordislândia (con hecem?). Pois é. Vale um passeio por essa região promissora.

Na genda: lugares para visitar

Essa rodovia, esse lugar, esses vinhos… quanto motivos mais? São Joaquim (SC), ou Bom Jardim (idem), onde está a Serra do Rio do Rastro e a tal ‘rodovia mais fantástica do mundo’. Ainda tem ótimas pousadas e, ficam próximos da Vinícola Francioni.

Quer aprender inglês, numa boa?

Às vezes (podia acontecer com maior frequência), temos ótimas notícias. O Rafael, nosso ex-aluno do Curso Superior de Tecnologia em Marketing, está em Londres – quer melhor lugar para falar e ensinar inglês?. Gente empreendedora e ‘que faz’, decide. E quando decide ajudar às outras pessoas? O site GoLearners tem um mundo de dicas de aprendizado. Não deixe de aproveitar. Com a permissão do Rafa, estou reproduzindo um post bem bacana. Ficou legal, mesmo.

Você deve ter percebido que as coisas mudaram muito de um tempo para cá, né. Pois é, estamos em um período de transição entre um modelo de sociedade industrial e um modelo de sociedade voltada para o conhecimento. Mas quais as principais diferenças entre esses dois períodos? Como a forma de aprender inglês mudou também?

Mudança no modelo de sociedade

Por muito tempo, o modelo de sociedade permaneceu o mesmo. A sociedade era mais simples e controlável. Os meios de comunicação eram rudimentares. As instituições controlavam praticamente tudo. O cidadão não era autônomo, pelo contrário, era submisso a um grupo e não conseguia exercer sua individualidade. Tudo era muito estável e havia previsibilidade. O acesso a educação e a informação era restrito e difícil.

Hoje, com a tecnologia, o cenário é completamente diferente. A velocidade de comunicação é incrivelmente rápida, as pessoas estão conectadas e se comunicam em tempo real. Assim, temos uma sociedade mais dinâmica e transparente. As pessoas são mais livres, informadas e críticas, e por meio da internet, têm acesso a uma quantidade enorme de informações. É possível consumir, produzir e compartilhar conhecimento a qualquer momento e de qualquer lugar, sem depender da autorização de instituições.

Compartilhar ideias e conhecimento se tornou algo completamente comum nos dias de hoje. Dessa forma, as instituições de ensino não são mais as únicas fontes de informação.

A influência da tecnologia na educação

Com a educação, a história não é diferente. Antes, para ter acesso à educação, as pessoas tinham que viajar até grandes centros de aprendizagem. Depois, vieram as escolas que tornaram esse processo mais acessível. O professor tinha o conhecimento e passava adiante aos seus alunos. Ele era a fonte de informação.

Na sociedade atual, o professor já não tem mais esse papel central. Seu papel é atuar mais como um guia, alguém que caminha ao lado dos alunos dando orientações. O acesso à educação se expandiu e hoje temos acesso online à livros, áudios, imagens e vídeos do mundo todo. Tudo ao alcance do seu clique.

Basta estar conectado à internet. Os estudantes de hoje podem interagir não só entre eles e com seu professor na sala de aula. Podem interagir com alunos de outras escolas, com professores de outros países e especialistas ao redor do mundo, que dominam o assunto que os alunos estão estudando. A sala de aula não é mais uma barreira limitadora.

Como a forma de aprender inglês mudou

O modelo que conhecíamos para aprender  inglês, durante décadas, era como o mencionado acima, tendo o professor como único responsável por ensinar os alunos. Você se matriculava em uma escola, frequentava as aulas em um grupo, e dentro de alguns anos, concluía o curso de inglês. Isso meio que funcionou durante um bom tempo. Porém, com o avanço da tecnologia, a forma de aprender inglês mudou. A quantidade de recursos que temos hoje aumentou, e com isso, podemos otimizar e transformar essa experiência de aprendizado em algo mais rápido, dinâmico e personalizado. Sabemos que cada aluno possui um ritmo diferente de aprendizado.

Portanto, o novo modelo de ensino respeita a individualidade de cada um. As aulas particulares, tendo o professor como um guia que fica ao lado do aluno o orientando, estão em alta. Outra forma muito conveniente são as aulas online. Você economiza o tempo de deslocamento e faz a aula de qualquer lugar, até de um coffee shop, por exemplo. Basta estar conectado à internet. Além disso, atualmente os estudantes não se limitam somente ao conteúdo da aula, como era antigamente. Eles utilizam diversas outras ferramentas para acelerar o processo de aprendizagem. Antes, a responsabilidade do professor era maior que do aluno. Hoje, os alunos assumem responsabilidade pelo próprio aprendizado e aquisição de conhecimento e utilizam todos os recursos disponíveis para aprender inglês.

Ferramentas atuais para aprender inglês

Embora fazer aulas seja muito importante, existem outras ferramentas que podemos utilizar para aprender inglês. Quanto mais contato você tiver com a língua, melhor. Portanto, faça uma imersão e tente consumir o máximo de inglês possível. Diversas vezes ao dia, por meio de diferentes ferramentas. Uma delas, simples mas eficaz, é configurar todos os seus dispositivos em inglês. Com o tempo você vai se familiarizar com os termos. Há também diversos apps que te ajudarão a treinar, como o Duolingo por exemplo, que está entre os mais baixados no mundo. Filmes e séries no Netflix também contribuem muito nesse processo. Blogs com dicas de inglês, como o GoLearners, também são muito uteis e colaboram com conteúdo de qualidade para aumentar seu conhecimento. Você também pode consumir o conteúdo que gosta na internet em inglês – aquele blog

de culinária ou aquele canal no YouTube sobre miniaturas, por exemplo. Procure sempre por conteúdos em inglês. Caso você queira treinar seu speaking com algum professor de outro país para se habituar com diversos sotaques, pode contar com a Engoo. Com o tempo a nova língua se tornará comum e sem perceber você estará entendendo e se comunicando em inglês. Com a comunicação, criatividade e colaboração em alta na sociedade moderna, novas ferramentas surgem a todo momento. Uma ferramenta que está sendo muito usada hoje são os meetups, que são encontros planejados onde pessoas com interesses em comum se reunem. No caso do aprendizado de inglês, as pessoas realizam esses encontros para treinar a língua – falando, ouvindo e interagindo uns com os outros.

Para finalizar

Com toda essa mudança na sociedade, principalmente por conta da tecnologia, a mudança na forma de adquirir conhecimento seria inevitável. Precisamos ter em mente que a forma de aprender inglês mudou também. Antes, ir a uma escola para fazer aula em grupoera a única opção. Hoje, com a quantidade imensa de recursos que temos, podemos aprender inglês de uma forma mais personalizada e dinâmica. Por isso, seja um aprendiz autônomo, assuma a responsabilidade pelo aprendizado e utilize a maior quantidade de ferramentas possível. Seja você o responsável pelo seu sucesso.

 

Um grupo de visitantes chineses, nos jardins do Museu Paulista

Hoje, segunda-feira, 03 de abril 2017. Imaginem se as fontes dos jardins do Museu Paulista (Ipiranga) estivessem funcionando. Perdemos muito com essa beleza que está sendo prejudicada por inércia e incompetência administrativa. Um grupo de cerca de 50 chineses, muito bem organizados, passearam por todo o parque. stacionamento fechado, fonte sem funcionar, uma pena. Onde está a competência administrativa?20170403_093429

SBAV-SP: vinho para quem gosta de viver e de compartilhar amizades, pelos melhores lugares

Ainda nesse ano, a SBAV-SP, promoverá viagens para o Sul do país (Avaliação da Safra), e para a Espanha – 10 dias visitando a Escola de Catas de Madri, várias vinícolas e muitos passeios em bodegas e lugares que, somente com esse respaldo, é possível usufruir. Entre em contato, associe-se e, viva o mundo da SBAV-SP.

No último dia 31 de março a Revolução Queijeira, teve a apresentação do Falco (Galeria do queijo). Obras-primas da Fazenda Atalaia, Amparo (Queijo Tulha, medalha de ouro na Espanha em outubro 2016), Queijos da Serra da Canastra (Yvair, Guilherme), Serra das Antas, Capril do Bosque, com espumantes, outros vinhos brancos e uma tentativa de harmonização com tinto (uma tintativa).