Aprendizagem, metodologias ativas

Educação se apreende em casa, com valores transmitidos de pais para filhos. Na escola (em todos os níveis), aprendem-se conhecimento e (deveria haver) troca de experiências. Nossa grande preocupação, hoje, é em compartilhar com os(as) alunos(as), nossas experiências, de maneira a não torná-los simples audiência, mas, buscadores e criadores de soluções para uma sociedade em mudança. Fazer da sala de aulas, um lugar de APRENDIZADO, não de ensino. Tudo tem evoluído: medicina, comunicação, tecnologias, agricultura…… E o ensino? Carteiras enfileiradas, uma produção em escala. Estamos mudando. Finalmente, para ações voltadas para: Ensino Híbrido, Sala de Aulas Invertida, Aprendizado Baseado em Problemas, Aprendizado Baseado em Projetos, Hands on etc. Seja lá qual for o rótulo, o importante é que mudanças sejam realizadas (a mais difícil delas é a mudança cultural nas organizações, como sempre). E que o professor saia de sua condição de expositor, para uma condição de mentor, compartilhando com seus alunos as descobertas.

Na foto abaixo, o senhor Falco (Galeria do Queiro), esteve presente para palestrar sobre a produção de queijos artesanais no Brasil. Dá para ver, o quanto a aula foi prática (rsrs). Tanto foi que, como parte do processo de envolvimento com o tema, visitamos a Fazenda Atalaia, em Amparo, SP, para conhecer todos os processos. O senhor Paulo e sua esposa, Rosana, ótimos anfitriões, receberam nossos alunos com um farto almoço. Conhecemos a fazenda, do século 19 e, claro, muito mais sobre as dificuldades da produção do queijo no Brasil. Os queijos da Atalaia (Amparo), obtiveram em outubro/16 Medalha de Prata, na Espanha, no Word Cheese Award. É mole? Tem também, mas, o mais famoso é o Tulha. Bem consistente, um ícone da Fazenda.

Aí você pode dizer: “é para um curso de gastronomia, até que é algo que se aproxime da prática”. Na-na-ni-na-não: esse é um Curso Superior de Tecnologia em MARKETING. Isso mesmo. Não há como um mercadólogo desenvolver um Projeto de Pesquisa de Mercado, sem conhecer as origens dos produtos de seus clientes. Nesse segundo semestre de 2016, fomos pesquisar ‘Hábitos de consumo de queijos, pela população do ABD’ paulista. Ao final, Relatórios Gerenciais foram entregues aos nossos ‘clientes’. Um grandioso OBRIGADO a esses EMPRESÁRIOS que nos motivaram e nos orgulharam.20160825_211303

20160702_100110