Mas… que coisas são essas?

Está gostoso, curtir um feriadão? Se ainda estiver em férias, melhor ainda, certo?

Você está empregado(a)? Se estiver, que bom. Mas, se não estiver, a situação é preocupante, possivelmente. No Brasil, no último ano, o mercado de trabalho decresceu em mais de 20k vagas.

E o futuro? Dependendo de sua profissão, as possibilidades podem ser boas – ou porque não será tão impactada pelas tecnologias, ou porque os impactos serão absorvíveis, e você estará preparado(a). Mas, se sua profissão for uma dessas a ser fortemente impactada pelas tecnologias, meu caro(a), eu esqueceria o chopinho, a praia, as férias tranquilas, e me preocuparia com o futuro. Na verdade, essa preocupação, já é presente, em muitas situações.

O pior parece estar acontecendo, claramente, no nosso país: os jovens não estão sendo preparados adequadamente – do berço ao ensino médio – causando sérias dificuldades no ambiente universitário. Ao estar num momento de receber conhecimentos mais técnicos, e de altos níveis, buscando seu preparo em áreas que escolheu, esse jovem não consegue assimilar os conhecimentos. Apresenta grandes dificuldades de leitura, de escrita, de interpretação, de lógica e vai por aí.

Imaginem o futuro

Com frequência, ouço comentários, vindos de empresários e gestores, a respeito do despreparo e dos baixos níveis de interesse e de comprometimento dos jovens estagiários. A maioria procura emprego, mas não trabalho.

O gestor, que pensa em preparar um jovem para assumir postos de mais altos níveis, tem muita dificuldadade, pois, esse jovem, nem mesmo quer ficar muito tempo no emprego.

A IoT (Internet of Things – Internet das Coisas) – que já é realidade em muitos outros países (América do Norte, Europa e Ásia, principalmente), estará varrendo muitos empregos.

Ah, então a tecnologia é do mal. A resposta, claro, é NÃO. Do mal, é a preguiça de estudar e de trabalhar, de buscar conhecimento, de não planejar o futuro. De achar que a vida é só curtição.

A hora chegou. A nova onda já está impactando as pessoas, mesmo no Brasil. A tecnologia facilitará nossas vidas em muitos aspectos. Porém, criará muitas dificuldades, em outros. Como no preparo para usufruirmos dela. Ou a compreendemos, ou seremos meros consumidores e pagadores (se tivermos dinheiro para isso). O abismo entre os que podem e os que não podem, deverá estar aberto. Muitos estarão lá, simplesmente por opção. Acham que o esforço não vale a pena. Tardiamente, se arrependerão.

Quando veículos não estiverem dependendo de radares para serem multados, muitos irão reclamar, esquecendo que, para multar, uma infração foi cometida. A questão é que, sem a necessidade de radares, os veículos portarão chips que emitirão sinais. Esses sinais serão captados por satélites (isso já é feito pelos smartphones conectados com GPS). Quando você ultrapassar os limites locais, o sinal é captado, e você será multado(a). Fique tranquilo(a). A cobrança virá, comodamente, em seu cartão de crédito.

No vídeo indicado no link, você poderá conhecer um pouco sobre IoT.

Ah, você dirá: mas eu não sei inglês. Eu direi a você: que pena! Já é hora de aprender.

O futuro das coisas

Por que me importar com isso? 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s